Na hora de construir, comprar os materiais certos é indispensável. Mas para isso é muito importante entender as indicações de cada produto. Uma dúvida bem comum é sobre os diferentes tipos de tijolo e quando cada um deve ser usado.

Além das diferenças estéticas, os tijolos variam de acordo com o material do qual são produzidos, o que interfere em pontos sensíveis como cargas estruturais, formas de uso e até tipos de revestimento e acabamento.

Está construindo e não sabe qual dos tipos de tijolo comprar? Continue lendo este artigo e saiba tudo sobre o tema!

Tipos de tijolo: quais são e para que servem?

A escolha do tijolo influencia na segurança da edificação e também no estilo do projeto. Por isso, para fazer a escolha certa é importante conhecer os diferentes tipos de tijolo e suas indicações. Veja abaixo os principais.

Tijolo Cerâmico

Esse é, sem dúvida, o tipo de tijolo mais comum. O tijolo cerâmico é produzido a partir da queima da argila e sua cor é mais clara (quando cozido) ou mais escura (quando recozido).

O tijolo cerâmico é produzido de maneira mais artesanal, o que significa que não há uma grande padronização nos tijolos.

Existem inúmeros tipos de tijolo cerâmico que variam de acordo com as medidas e quantidade de furos. Os tipos mais comuns são:

·         Tijolo furado: possui vários tipos de furos e é indicado para diversas aplicações;

·         Tijolo baiano ou bloco cerâmico: possui 8 furos e ranhuras que facilitam a aderência da argamassa. Os furos também são responsáveis por diminuir o peso do tijolo, contribuindo para o isolamento térmico da parede;

·         Tijolo laminado ou de 21 furos: é um dos tijolos cerâmicos mais bonitos. Muito usado na construção de churrasqueiras. A recomendação é usá-lo na horizontal, deixando a parte lisa aparente. Oferece um visual mais rústico e é bastante usado em cozinhas e varandas;

·         Tijolo refratário: é o mais usado em churrasqueiras e fornos à lenha porque é bastante resistente ao calor, à produtos químicos e à impactos.

Além dos tijolos furados, também existem os tijolos maciços. Os primeiros são mais leves e baratos, contudo têm maior facilidade de quebra (e, consequentemente, de perda de material), os segundos podem ser usados em construções aparentes ou divididos ao meio para serem usados como revestimento de paredes.

Todos os tipos de tijolo cerâmico (vazados e maciços) não são estruturais. Ou seja, eles apenas devem ser usados para o fechamento e não para sustentar a laje ou a cobertura da construção.

A vantagem do tijolo cerâmico é que ele é mais barato e oferece um bom conforto térmico, além de absorver menos água e ser fácil de ser transportado na obra.

Contudo, como dissemos, alguns tipos de tijolos são mais frágeis, nem sempre há uma boa padronização entre as peças e ele oferece pouco isolamento acústico.

Tijolo de vidro

O tijolo de vidro é mais usado para locais em que a questão estética é importante, afinal ele tem um custo bastante elevado quando comparado com os demais tipos de tijolo.

grande fileira de um dos tipos de tijolo, o tijolo de vidro
Dentre os tipos de tijolo, o de vidro é um dos mais custosos.

Serve para o fechamento de ambientes e permite a passagem de, aproximadamente, 75% da luminosidade. Por isso, o tijolo de vidro é indicado para locais em que é necessário preservar a iluminação natural, ajudando a deixar os ambientes mais diferenciados.

Tijolo Adobe

É o tipo de tijolo que tem a produção mais simples. Ele é feito apenas com terra crua, água, palha e fibras naturais. Todos os ingredientes se juntam e são moldados manualmente, depois são cozidos ao sol.

É um material muito presente em casas antigas, principalmente as construídas durante o período do Brasil Colonial, como são os exemplos dos casarões das cidades históricas como Pirenópolis, em Goiás, e Ouro Preto, em Minas Gerais.

Ele é usado, atualmente, em casas ecológicas, mas não deve ser usado em locais com muita chuva, porque ele não é impermeabilizado. A sua vantagem é o custo mais baixo, além de oferecer um ótimo isolamento térmico.

Tijolos aparentes (ou de acabamento)

São uma espécie de evolução do tijolo cerâmico tradicional, mas apresentam um acabamento melhor, maior resistência mecânica e menor porosidade. Podem ser assentados sem a necessidade de reboco, deixando as paredes com um visual rústico que está em alta.

Contudo, esse é um tijolo menor, o que significa um gasto mais elevado com argamassa e um tempo maior para conclusão da obra. Ele é mais usado em construção de fornos e fogões, além de detalhes em uma ou outra parede interna ou externa.

Tijolos decorativos

São aqueles tipos de tijolo com um design diferenciado e usados mais nas paredes internas, como destaque na decoração.

Aqui, existem modelos de cerâmica e de concreto, com diferentes cores e estampas. Esses tijolos decorativos são muito empregados na construção de cobogós – e por isso eles também são vazados.

diferentes tipos de tijolo cobogós
Os cobogós estão entre os tipos de tijolos decorativos mais elegantes. Fonte da imagem: Jornal de Beltrão

Além de bastante bonitos, os tijolos decorativos ajudam a aumentar o conforto térmico em regiões mais quentes, dividindo os ambientes, mas sem perder luminosidade e ventilação natural.

Blocos de concreto: o que são e quais as indicações?

Os blocos de concreto também são um dos tipos de tijolo. A diferença para o tijolo cerâmico, é que os blocos de concreto são produzidos a partir de uma mistura de cimento, areia, agregado, aditivos e água.

Eles são produzidos industrialmente, com máquinas que vibram e prensam. Isso significa que existe uma variedade de composições possíveis.

Os blocos de concreto são moldados em formas de aço, com precisão dimensional, o que confere maior facilidade na hora da execução da alvenaria.

Suas características e desempenho dependem muito do equipamento, da qualidade dos materiais empregados e da sua proporção adequada.

Em geral, os diferentes tipos de blocos de concreto são mais resistentes que os tipos de tijolo cerâmico e por isso são comumente empregados em obras de maior porte, como os edifícios de vários andares.

Assim como os tijolos cerâmicos, contudo, os blocos de concreto devem ser usados apenas como vedação (salvo no caso do bloco estrutural, que explicaremos adiante).

Quem quiser criar um visual mais industrial ou minimalista, pode construir com os blocos cerâmicos e deixá-los à mostra, sem revestimento.

Algumas das vantagens desse material são:

·         Formato e dimensões padronizados, o que proporciona um sistema construtivo limpo, prático, rápido e econômico;

·         O concreto possui um módulo de elasticidade similar ao da junta da argamassa, aproximando a resistência da alvenaria à do bloco;

·         Os blocos podem ser produzidos em resistências variadas, de acordo com a necessidade estrutural das edificações;

·         É possível produzir os blocos com diferentes cores, formas e texturas;

·         Possuem vazados de grandes dimensões, o que facilita a passagem de tubulações elétricas e até sanitárias, além da possibilidade de preenchimento do vazado com graute para a execução de cintas de amarração, vergas e também para aumentar a resistência da alvenaria à compressão;

·         Estão disponíveis em praticamente todas as cidades do país;

·         Possuem baixa variação de dimensões (que são modulares), o que reduz os desperdícios por quebras e diminui a espessura dos revestimentos aplicados.

Tipos de blocos de concreto

Os blocos de concreto ou tijolos de concreto são divididos, basicamente, em dois tipos: bloco vazado de concreto simples e o bloco de concreto com maior resistência. Também são conhecidos como bloco de concreto de vedação e bloco de concreto estrutural.

Bloco de concreto de vedações

Como o próprio nome sugere, esse bloco só pode ser usado para a alvenaria de vedação, por exemplo para a construção de muros e paredes. Ele apresenta baixa resistência, em torno de 2 a 3 Mpa.

Para usar os blocos de vedação é necessária a construção conjunta de estruturas como vigas, pilares, pilaretes e cintas de amarração. Sozinhos, esses blocos não conseguem suportar as cargas da edificação ou do muro.

Bloco de concreto estrutural

Os blocos de concreto estruturais, por outro lado, são usados no sistema de alvenaria estrutural, no qual as paredes são responsáveis por suportarem o peso da edificação.

Esse sistema de construção dispensa o uso de vigas e colunas de concreto. Por isso, os blocos apresentam resistência superior a 4,5 Mpa e suportam todas as cargas da edificação.

Quando é necessário estruturas adicionais, elas são realizadas dentro dos blocos de concreto, como os grautes, as cintas de amarração e as vergas e contravergas.

Esse tipo de construção também permite que as tubulações hidráulicas ou elétricas sejam instaladas no interior da parede, passando por dentro dos furos dos blocos de concreto.

Embora ambos pareçam visualmente iguais, as laterais do bloco de concreto estrutural são mais espessas do que as dos blocos de vedação.

Outra diferença está na composição do concreto. O bloco estrutural apresenta um traço de cimento maior, o que ajuda a dar a ele uma resistência maior.

Canaleta de concreto

Além dos blocos de concreto, existem outros materiais de concreto importantes na construção, como a canaleta de concreto. Ela é parecida com o bloco de concreto, mas tem um formato em “U” e é usada na obra junto do bloco de vedação ou estrutural.

Devido ao seu formato, a canaleta permite a colocação de barras de aço e de concreto para a criação de peças estruturais mais resistentes.

As canaletas são indispensáveis para a construção de cintas de amarração de paredes e muros e para as vergas e contravergas de janelas e portas.

Blocos de concreto chanfrados

É um bloco menor que o tradicional, que apresenta um chanfro de 45 graus. Ele é usado quando a parede possui angulações ou cortes que impedem o uso do bloco comum.

Blocos compensadores (meio bloco)

Em geral, as paredes são levantadas usando blocos inteiros. Mas para realizar a amarração de alvenaria é preciso intercalar os blocos, o que cria locais onde os blocos tradicionais não se encaixam.

Para evitar ter de serrar ou quebrar o bloco (o que gera perda na resistência do material) são comercializados os blocos compensadores ou meio blocos. Eles são usados para atingir as medidas necessárias dos muros e das paredes sem que seja preciso serrar os blocos inteiros.

Blocos de concreto de amarração

A união de paredes em T ou em L é algo que precisa de muito cuidado na execução da alvenaria estrutural, oferecendo à construção a maior resistência possível.

Muitas vezes, nessas uniões são feitos os grautes – e para isso os blocos devem respeitar a modulação necessária.

Os blocos de amarração são os mais usados neste procedimento e por isso contam com medidas diferenciadas (com comprimentos entre 34 a 54 cm), permitindo acomodar a união das paredes e dos grautes.

Bloco de concreto elétrico e hidráulico

Esse é um tipo de bloco menor e que já vem preparado para receber os pontos de hidráulica e elétrica. A vantagem é evitar que os blocos tradicionais sejam cortados e danificados.

Além disso, esses blocos aceleram o processo de assentamento e de instalação dos sistemas hidráulicos e elétricos.

Bloco de concreto celular autoclavado

É um bloco produzido com cimento, pedra calcária, pó de alumínio, água e areia. O pó de alumínio funciona como expansor, criando bolhas de ar nos blocos.

Como esse é um concreto aerado, ele possui uma densidade menor que dos blocos de concreto tradicionais, mas isso sem perder a resistência.

Assim, seu uso é indicado para construção de alvenaria de vedação, preenchimento de lajes, churrasqueiras e outras aplicações.

Outra vantagem é que, como ele é um bloco aerado, proporciona um conforto térmico maior que os demais tipos de blocos de concreto. Além disso, ele é mais leve: o que gera economia em concreto e armações de aço.

corredor de tijolos de concreto
Agora que vimos os tipos de tijolo e de concreto, vamos ao tijolo ecológico 😉

Tijolo ecológico: como é feito, quais os custos e vantagens?

O tijolo ecológico é confeccionado com terra, cimento e água. A diferença é que esse tijolo não é cozido em forno (processo que consome madeira e emite gases poluentes), mas sim é realizada uma cura hidráulica.

Ele é chamado de ecológico, além da cura diferenciada, porque a proporção de cimento incorporada à massa é menor, cerca de 10%, além de utilizar um solo arenoso sem pedrisco. 

Isso significa que o material para sua produção pode ser retirado de qualquer lugar e não apenas de áreas de preservação permanente, como as argilas, que geralmente são sedimentadas próximas de mananciais.

Outra vantagem é que esse tijolo possui encaixes próprios, o que facilita a execução da obra, reduzindo o consumo de materiais como argamassa, concreto e aço. Assim, além de economia, também se reduz a quantidade de entulho gerado.

Tipos de tijolo ecológico

No mercado, é possível encontrar diferentes tipos de tijolo ecológico que variam quanto às dimensões e o encaixe, além de haver variedades de composição.

Alguns incorporam resíduos da construção civil ou orgânicos.Os três tipos mais comercializados são o modular, o meio tijolo e o tijolo canaleta.

O modular é usado como verga e contraverga de portas e janelas, o canaleta para cintas de amarração e passagem vertical e horizontal de dutos hidráulicos e eletrodutos.

construção com tijolos ecológicos, um dos tipos de tijolos
O tijolo ecológico pode facilitar processos da Obra! (Fonte da imagem: Jornal do Sudoeste)

Para usar esse tipo de tijolo é preciso conhecer as dimensões do produto a ser   empregado, já que o tijolo ecológico é uma solução modular.

Além disso, esse tipo de tijolo sofre retração e dilatação de acordo com as variações climáticas, então é preciso prever um espaçamento de 1 a 1,5mm entre os tijolos, evitando trincas e fissuras.

É importante destacar que o tijolo ecológico não tem função estrutural. Então a estabilidade é dada com o uso de cintas de amarração e colunas de sustentação distribuídas ao longo das paredes.

Qual o melhor tijolo para alvenaria?

Como você viu, os diferentes tipos de tijolo apresentam vantagens e desvantagens e é importante considerar esses pontos na hora de construir.

Se você está pensando em economizar na obra, boas soluções são o tijolo baiano ou o bloco de concreto.

O tijolo baiano, contudo, tem altos índices de quebra e produz entulho na obra. Inclusive, ele não tem precisão dimensional, o que pode encarecer os gastos com os demais materiais de construção. Porém, ele é o que oferece melhor conforto térmico.

Já o bloco de concreto é uma opção que rende mais, já que a mão de obra é executada mais rapidamente.

Além disso, ele é o mais resistente de todos, reduzindo o desperdício com quebras. Outra vantagem é que ele usa menos argamassa de assentamento e camadas mais finas de reboco. Contudo, é o que oferece menor conforto térmico.

Outra possibilidade é o tijolo ecológico que também necessita de menos material, devido ao seu sistema de encaixe, além de ser mais sustentável. Porém, é preciso que o arquiteto ou projetista conheça esse tipo de material, assim como o pedreiro.

Conclusão

Como você viu, existem diferentes tipos de tijolo, e cada um é mais ou menos indicado dependendo da construção que você irá fazer. 

O importante é analisar as características do material, os custos associados e também a questão estética, além de avaliar se o tijolo é indicado apenas para vedação ou também para a parte estrutural.

Comprar o produto certo e com qualidade faz toda a diferença para o resultado final da sua obra, assim como encontrar os melhores profissionais na hora de executar o seu projeto. 

Tudo isso você encontra no Toca Obra, inclusive mão de obra especializada, graças a nossa parceria com a GetNinjas.

Acesse o nosso site e encontre diferentes tipos de tijolo para sua obra – e aproveite para contratar o pedreiro certo para suas necessidades!

Contrate um ninja