Você busca conforto, praticidade e segurança na sua residência? Garantir tudo isso tem se tornado cada vez mais acessível devido a uma simples alternativa: a instalação de diversos tipos de sensores que automatizam o imóvel. 

Tornar uma casa automatizada significa facilitar inúmeras tarefas do dia a dia, como controlar a iluminação, garantir acesso aos cômodos, detectar sinais de incêndio e até mesmo economizar na conta de energia. 

Por isso, os sensores vêm ganhando espaço na casa de muitas pessoas que gostam da ajuda da tecnologia. E antes de escolher os aparelhos que mais se adequam ao seu lar, é preciso entender as principais diferenças entre as opções disponíveis.

Para te ajudar nessa tarefa, separamos as principais informações sobre os principais tipos de sensores que podem deixar o seu lar ainda mais moderno e quais são os benefícios de instalá-los. Confira a seguir! 

O que são os sensores e como eles funcionam?

Um dispositivo semelhante a um tablet está preso a uma parede cinza. Este aparelho exibe uma tela azul com vários ícones, o que demonstra que ele é capaz de gerenciar diversos tipos de sensores em uma casa, desde a temperatura, aos sinais sonoros e de vídeo. À direita, é possível ver ao fundo um cômodo com uma grande TV e paredes brancas.
Os sensores podem ser grandes aliados na automatização de sua casa. (Foto: Reprodução/Pinterest/Viva Decora)

Os sensores são dispositivos que, quando acionados, são capazes de enviar sinais e exercer uma determinada função. Com eles, é possível medir, monitorar, ou até mesmo automatizar um processo.

Para ser acionado, cada tipo de sensor exige um estímulo em específico, seja de movimento, calor, pressão, luz, etc. Por conta disso, antes de escolher o melhor dispositivo, é preciso saber em qual local ele será instalado, evitando erros.

Embora esses aparelhos sejam mais utilizados em setores como a indústria e a agropecuária, eles também têm marcado presença nas casas. Para cada cômodo, a solução de problemas da rotina pode vir direto da automatização. Veja a seguir como o uso dos sensores pode beneficiar o seu lar!

Benefícios do uso de sensores

O uso de sensores pode solucionar inúmeros problemas de funcionamento tanto em sua casa como em sua rotina. Para você entender melhor sobre algumas das vantagens que esses aparelhos têm a oferecer, listamos os seus principais benefícios. Veja só! 

Conforto diário 

Em um quarto de parede cinza, um sensor está posicionado na parte superior da imagem. Abaixo, está uma mesa de cabeceira branca com itens decorativos, e à direita encontra-se uma cama de casal com travesseiros coloridos e um bicho de pelúcia azul ao centro.
Hoje em dia, diferentes tipos de sensores estão presentes em residências. (Foto: Reprodução/Pinterest)

Antigamente, entrar em um ambiente e as luzes acenderem automaticamente com a sua presença só era possível em obras de ficção científica. Agora, essa já é uma das funções mais comuns dos sensores nas residências, trazendo ainda mais praticidade através da automatização do imóvel.

Nesse sentido, diversos tipos de sensores garantem conforto ao tornarem mais práticas algumas das tarefas do dia a dia. Com a programação de sistemas que captam sinais desses aparelhos, é possível abrir portas, acender luzes e até mesmo controlar o funcionamento dos eletrodomésticos.

Imagine que você chega do mercado carregando diversas sacolas de compras nos braços. Provavelmente terá dificuldades para abrir a porta de casa e acender as luzes, né? Com um simples acionamento, os sensores poderão te ajudar  tanto na abertura da porta como na iluminação do ambiente.

Para garantir a funcionalidade e conforto da casa, é necessário analisar em quais cômodos você mais precisa da ajuda dos sensores. Em locais como a garagem e o hall de entrada, por exemplo, esses dispositivos costumam ser uma ótima opção para facilitar sua chegada e saída do local.

Mais segurança

Em uma parede branca, uma câmera de segurança está sendo ajustada por uma mulher de capacete amarelo e cabelo preto.
Um dos benefícios mais conhecidos dos sensores é a segurança para o ambiente. (Foto: Reprodução/Pinterest/Freepik)

Devido ao avanço da tecnologia, as ferramentas que auxiliam no controle da segurança têm se tornado ainda mais práticas e eficazes, com controles e aplicativos que permitem monitorar o funcionamento dos sensores de segurança.

Além de prevenir contra furtos e invasões, os sensores também podem atuar para a própria proteção dentro de casa. Os alarmes de incêndio, por exemplo, garantem a segurança da família contra acidentes de origem doméstica e de outras naturezas. 

Com os sensores fazendo o nosso trabalho, fica mais fácil se sentir seguro dentro e fora de casa, não é mesmo?

Economia de energia 

Nas indústrias em geral, além da segurança do trabalho, os sensores também são muito utilizados para economizar energia. Isso porque a automatização permite controlar o horário de funcionamento das máquinas, graças ao gerenciamento de diferentes tipos de sensores, sem precisar de mais mão de obra para esta função.

Quantas vezes você já saiu de casa e esqueceu alguma lâmpada ligada o dia inteiro? Com os sensores, esse problema é evitado! Quando não há ninguém no cômodo, eles desligam automaticamente as luzes do espaço onde estão instalados. Ao fim do mês, seu bolso pode sentir a diferença.

Os tipos de sensores mais usados

Agora que você já sabe quais são os benefícios que esses dispositivos trazem para sua casa, que tal entender um pouco mais sobre os principais tipos de sensores e tirar algumas dúvidas sobre a automatização da casa? Dê uma olhada nas informações que separamos!

1. Sensor de movimento

Uma escada de madeira escura contém luzes presas em seus degraus. Acima, uma pessoa desce da escada com um salto e um vestido preto.
Sensores de movimento dispensam cliques ao detectar a presença humana. (Foto: Reprodução/Pinterest/SHEIN)

Como o próprio nome indica, esse grupo de sensores detecta a movimentação de seres vivos em um determinado ambiente. Esses dispositivos não dependem da luz para distinguir corpos em um espaço, por isso funcionam até mesmo no escuro.

Atualmente, os sensores de movimento já estão muito presentes em edifícios comerciais e residenciais. Para saber qual o dispositivo ideal para o seu lar, é necessário entender com antecedência a diferença entre os sensores de movimento ativos e passivos.

Ativo

Para entrar em ação, o sensor de movimento ativo conta com um transmissor e um receptor de feixes de infravermelho. Ao detectar que houve uma diferença no tempo de emissão e recepção da radiação, este dispositivo emite um sinal que será útil em suas funções, como paralisar portas automáticas da residência.

Além disso, os modelos mais modernos oferecidos no mercado já permitem considerar a presença de animais e a distância de cobertura do raio infravermelho entre o emissor e o transmissor. Assim, o funcionamento dos sensores se torna ainda mais eficaz.

Passivo 

Considerado uma boa escolha para ambientes menores, o sensor de movimento passivo não emite luz infravermelha. Em vez disso, ele faz a leitura das variações da radiação que ocorrem no local onde está instalado.

Ao ser programado para ativar na presença de um corpo cuja temperatura corresponde à média do calor humano (entre 35 e 40ºC), esse tipo de sensor emite um sinal. Para evitar alarmes falsos, é recomendado instalá-lo longe de locais que recebam muita luz solar ou calor.

2. Sensor magnético

Geralmente instalado em janelas, portas e portões para garantir a segurança da residência, o sensor magnético funciona como um ímã, por isso é acionado conforme o contato de polos opostos. As principais opções destes tipos de sensores no mercado são os sensores magnéticos embutidos, aparentes e metálicos.

Para entender melhor o funcionamento desse sensor, vamos a um exemplo prático: caso ninguém esteja em casa e uma porta com o sensor ativado seja aberta, um sinal poderá ser emitido para a central que monitora a segurança de sua residência ou então acionar um som de alarme, sinalizando que algo errado aconteceu.

3. Sensor de incêndio

Como o nome anuncia, este dispositivo tem como função detectar sinais de incêndio. Ele envia um chamado para o controle central de incêndio responsável pelo alarme, emitindo um aviso sonoro ou visual. 

Em um teto branco, um sensor de incêndio está sendo ajustado por um homem de óculos de proteção amarelo e um casaco vermelho e azul.
Sensores de incêndio possuem respostas rápidas para controlar eventuais acidentes. (Foto: Reprodução/Pinterest/Freepik)

4. Sensor de presença por micro-ondas

Os sensores de presença por micro-ondas possuem um grande potencial de alcance e detecção, diferente de outros tipos de sensores. Dependendo do dispositivo e da espessura de paredes, este modelo pode atravessar algumas superfícies e funcionar de forma mais ampla na sua residência.

Ao emitir pulsos contínuos de micro-ondas no ambiente, estes aparelhos conseguem detectar interferências no padrão das ondas. Caso isso aconteça, o sensor irá emitir um sinal instantaneamente.

5. Sensor de teto

Estes dispositivos podem vir como alarmes ou controles das luzes dos ambientes, sendo muito utilizados em casas e comércios devido ao seu alcance de até 360º. Práticos e pouco visíveis, os sensores de teto têm alta eficiência em áreas coletivas de prédios e ambientes internos.

Dicas para instalação de sensores para automatizar sua casa 

Realizar a instalação de um equipamento nem sempre é uma tarefa fácil. Por isso, elencamos algumas dicas para te ajudar nessa missão! 

Entenda como os sensores podem aperfeiçoar sua rotina

Antes de comprar qualquer sensor, liste todas as necessidades da sua casa. Após isso, com papel e caneta, anote em quais pontos de cada cômodo os sensores terão uma função efetiva.

Ao elaborar este planejamento, você terá maior certeza sobre os tipos de sensores que serão necessários para corresponder às suas expectativas. 

Conte com a ajuda de especialistas na hora da instalação

Em uma parede de cor rosada, uma câmera de sensoriamento de presença está sendo instalada com o auxílio de uma parafusadeira por uma pessoa, que veste uma camiseta listrada nas cores azul, cinza e rosa, e uma calça de cor escura acompanhada de um cinto com equipamentos.
Especialistas podem ser a melhor opção na hora de instalar os sensores.(Foto: Reprodução/Pinterest/Freepik)

Com os dispositivos em mãos e os pontos de instalação escolhidos, vem a preocupação com a instalação. Se você não tem conhecimento suficiente para realizar uma boa instalação, evite dores de cabeça: contrate especialistas para garantir um bom funcionamento dos sensores.

Além de contribuir com sugestões sobre os locais escolhidos para a instalação, eles poderão trazer mais informações sobre os sensores e seus usos diários.

Utilize materiais de qualidade

Ao planejar a instalação de um dispositivo, é essencial contar com ferramentas de alta qualidade para garantir a segurança de quem está instalando o produto, a durabilidade e um bom funcionamento do sensor.

A instalação e a manutenção dos sensores requerem equipamentos gerais, como o  multímetro para avaliar a tensão e as correntes elétricas que o aparelho está recebendo, ou então o uso da fita isolante para vedar ligações e garantir uma proteção ao dispositivo.  

Aqui no Toca Obra, temos tudo o que você precisa para o seu lar, desde os diversos tipos de sensores até os equipamentos necessários para realizar uma instalação segura e com o melhor custo benefício. Conheça a nossa variedade de produtos e comece já o projeto de automatização do seu lar!

Contrate um ninja