Não dá pra negar que para uma construção bem feita, saber escolher corretamente entre os tipos de ferragens é algo indispensável. Você já viu, no início de uma construção que usa tijolos, que sempre há algumas barras de ferro que vão dentro dos tijolos em algumas partes da construção? É um exemplo do tipo de material que vamos explicar a você neste conteúdo. 

As ferragens são um dos pontos integrantes de qualquer base e precisam ser escolhidas de forma adequada, garantindo a sustentação da obra. Justamente por isso é importante entender quais são os tipos de ferragens mais usadas, quando cada um é empregado e compreender melhor o processo de escolha desse material.

Se você está construindo ou reformando, continue a leitura e veja as informações essenciais que separamos para você fazer a escolha certa!

Sabemos que esse assunto é um tipo de informação mais técnica, e na maior parte das vezes o seu profissional da construção irá lhe recomendar os materiais.

Produzimos esse conteúdo para você que gosta de entender, no detalhe, como sua obra está sendo construída!

O que são ferragens?

O ferro é um minério de extrema importância na nossa sociedade – e que também se destaca na construção civil. Os primeiros registros do seu uso aparecem ao final do século XIX, quando esse material começou a ser empregado nas estruturas de concreto armado.

Até hoje, esse elemento continua sendo usado para o concreto armado, que apresenta a vantagem de unir a alta resistência das tensões de compressão do concreto com a resistência às trações do ferro.

Parece complicado, mas não é. Vamos explicar de uma forma bem simples!

Na construção, as ferragens podem ser usadas de várias maneiras, como em formatos de vigas, vergalhões, barras e colunas. No entanto, as formas mais comuns são a barra de transferência e o vergalhão.

Escolher a ferragem certa para o tipo de construção que você está planejando é essencial, já que ela ajudará na sustentação e firmeza da obra, evitando problemas futuros. Vamos entender mais sobre elas?

Tipos de ferragens e especificações

Geralmente, os tipos de ferragens são agrupados de acordo com o seu grau de resistência. Essa variação acontece devido à composição química de cada ferragem e levar isso em consideração antes de escolher o material é muito importante.

Isso porque, na hora de comprar, além dos tipos de ferragens, você também deve verificar o grau de resistência e entender se ele é compatível com o tipo de uso que o ferro terá. Assim, você garante que sua obra irá ter uma boa sustentação!

As três principais especificações para esse material são:

  1. Aço CA 50: é o mais usado nas construções de concreto armado. Ele possui uma superfície nervurada, diâmetros variados e uma resistência característica de tensão de escoamento de 500 Mpa;
  2. Aço CA 60: é mais empregado em estruturas pré-moldadas (aquelas em que as vigas e pilares, por exemplo, já vem prontos de fábrica). Possui resistência de 600 Mpa, superfície lisa e bitolas que variam de 4.2mm a 9.5mm;
  3. Aço CA 25: é o tipo mais usado em barras de transferência (geralmente aplicadas na construção de pisos ou pavimentos). Possui resistência de 250 Mpa, superfície lisa e diâmetros que variam entre 6.3 mm a 40 mm.

Quais os principais tipos de ferragens?

Além das especificações, é claro, você também deve saber quais são os principais tipos de ferragens, suas indicações e outras informações essenciais, a fim de garantir uma obra segura e durável. Vamos ver em detalhes cada um:

Vergalhões

São barras de aço que, quando adicionadas ao concreto, formam o concreto armado. Ele é usado na estrutura da construção de vigas, vigotas, pilares e outros. Em geral, para cada m³ de concreto é usado em torno de 100g de aço estrutural.

Na hora de comprar os vergalhões, você poderá encontrá-los tanto em barras retas como dobradas. Nesse último caso, eles são cortados e dobrados de acordo com o formato necessário para a obra.

Em relação às especificações que citamos no tópico anterior, os vergalhões são vendidos nas categorias GG-50 e CA-25, com superfície lisa e CA-50 com superfície nervurada.

O GG-50 é diferente dos vergalhões tradicionais porque oferece outros benefícios, como o rigoroso controle de diâmetro, fornecimento em barras de comprimentos definidos e capacidade de solda a topo (para diâmetros de 10 a 40 mm). Nesse caso, é possível encontrar vergalhões em barras retas ou dobradas de 12 metros, com seção circular e superfície nervurada ou lisa.

Uma característica dos vergalhões tradicionais é que eles não possuem revestimento superficial – o que os tornam mais suscetíveis à oxidação. As versões com superfície nervurada são usadas quando se deseja aumentar a aderência ao concreto.

Também é importante salientar que a maior parte dos aços para vergalhões não é soldável, porém, existem graus especiais de aço que, quando combinados com operadores experientes e materiais adequados de eletrodo, permitem a soldagem.

Usar telas soldadas nos pisos e nas lajes, por exemplo, é uma ideia bem interessante, já que elimina as perdas do método de montagem da armadura no local da obra e ainda reduz a mão-de-obra.

De uma maneira geral, os vergalhões são os tipos de ferragem mais versáteis dentro da construção civil e por isso oferecem uma grande variedade de espessuras (chegando a até 40 mm). Contudo, encontrar a espessura certa e o tipo adequado de vergalhão, exige a análise de um especialista.

Confira o GetNinjas e faça um orçamento grátis para contratar os melhores profissionais para sua obra.

Arames recozidos

São usados especialmente para fixar os vergalhões nas armaduras de concreto armado. É possível encontrá-los em rolos de cerca de 30 kg ou em rolos menores, de 1 kg.

Devido às suas características mecânicas, é possível usar os arames em operações que exigem torções e dobras, como as amarrações de armadura do concreto armado. Ou seja, embora seja um aço simples, o arame é extremamente maleável, graças à sua produção com baixo teor de carbono, tornando-o indispensável nas obras.

Assim, os arames podem ser usados em diversas estruturas de concreto armado, pois são facilmente moldados de acordo com a necessidade.

Cordoalhas e fios

São produtos específicos para o concreto protendido. A diferença entre o concreto armado e o concreto protendido é o aço utilizado. No primeiro, são usadas ferragens passivas (ou seja, o concreto comum é adicionado em vigas de aço). Já no segundo, o concreto é armado com ferragens ativas.

Assim, as cordoalhas e fios são usadas de forma ativa, posicionados na estrutura e com um reforço de protensão nas extremidades. Além disso, é possível encontrar à venda 3 tipos de produtos, que são:

  1. cordoalhas engraxadas e plastificadas: conjunto de fios que não aderem ao concreto justamente por serem engraxadas e plastificadas;
  2. fios de protensão: mais usados nas lajes alveolares;
  3. cordoalhas aderentes: conjunto de fios usado em estruturas de grandes construções e de pontes.

Da mesma maneira que o aço convencional, as cordoalhas e fios também possuem diâmetros variados para melhorar o seu uso.

Treliças nervuradas

Essas treliças são muito empregadas na construção de lajes treliçadas, pois são compostas por fios CA-60 nervurados.

Sua formação é feita por um fio longitudinal superior e dois fios longitudinais inferiores, separados por uma determinada distância e definida por dois estribos em forma de sinusóide, com eletrosoldados em ambos os lados da estrutura, formando uma estrutura espacial.

As treliças nervuradas, quando usadas em elementos pré-fabricados, oferecem uma série de vantagens, em especial a redução no consumo de aço, a facilidade no manuseio e a rapidez na execução.

Telas nervuradas

As telas nervuradas, ao lado dos vergalhões, são os tipos de ferragens mais usadas na construção. Elas se configuram em fios de aço soldados que formam uma malha retangular ou quadrada e podem ser comercializadas em rolos ou em painéis.

Os tipos de telas nervuradas variam de acordo com o espaçamento do fio e o diâmetro, assim cada tipo de utilização deve contar com uma malha distinta.

telas nervuradas
Telas nervuradas trazem diversas vantagens na hora da construção como otimização do tempo e trabalho.

Essa ferragem é usada para a armação de lajes, pisos de concreto armado de alto desempenho, paredes de concreto armado e piscinas, além de tanques, radiers e várias outras aplicações.

A grande vantagem das telas nervuradas é que elas ajudam a economizar mão de obra e também oferecem mais rapidez na armação das estruturas.

Vigas

Elas fazem parte da estrutura do concreto armado e oferecem sustentação ao imóvel construído. São barras horizontais e retas, destinadas a receberem à ação da laje, de outras vigas, das paredes de alvenaria e também dos pilares.

Estribos

No concreto armado, os estribos são barras de aço de pequena bitola dispostos transversalmente à armadura longitudinal da estrutura.

Sua finalidade é solidarizar a armadura longitudinal para a concretagem e suportar os esforços cortantes da estrutura. Quando usados em pilares, os estribos evitam que eles sofram flambagem – ou seja, a curvatura devido às forças em atuação nas colunas e pilares.

A dica é procurar por estribos com espaçamento constante de 20 cm e também usar vergalhões com dimensões adequadas às necessidades da obra. Tudo isso garante mais uniformidade nas ferragens, segurança, resistência e economia.

Quando usar esses tipos de ferragens na obra?

As ferragens são itens que devem integrar suas primeiras listas de compras, junto ao sacos de areia, pedras e outros materiais básicos, já que todos esses materiais que citamos são usados no projeto estrutural da obra.

Por exemplo, os vergalhões (muito tradicionais) são usados na armação de todos os componentes estruturais de uma construção, desde a fundação até as colunas, lajes e demais estruturas de concreto.

Já as treliças nervuradas são empregadas nas lajes pré-fabricadas, enquanto as telas nervuradas são usadas em pisos de concreto armado de alto desempenho, por exemplo na estrutura da piscina.

Somente as cordoalhas é que têm uma aplicabilidade mais diferenciada, sendo indicadas especialmente para obras de grande porte, como as pontes.

Como escolher os melhores tipos de ferragens?

Como você viu, as ferragens são itens extremamente importantes nas obras. Por isso é indispensável buscar pelo tipo certo e também por produtos de boa procedência e qualidade, de preferência comprados em locais que respeitem a NBR 7480/96 da ABNT.

Para saber os tipos de ferragens, quantidade e especificações técnicas, o recomendado é conversar com o engenheiro responsável pelo projeto estrutural da sua obra. Isso porque, como você pode notar, as ferragens variam dependendo do tipo de aplicação, como lajes, fundações, muros de arrimo etc.

ferragens em construção civil
Optar por tipos de ferragens qualificadas auxilia na eficiência e segurança de uma construção.

Outra dica extremamente importante é em relação ao armazenamento. O ideal é que esses itens fiquem abrigados na sua construção, pois se ficarem expostos ao tempo podem sofrer com a ação das chuvas, desenvolvendo ferrugem.

Nesse caso, quando há ferrugem, o aço deve ser desconsiderado, porque há um processo de corrosão instalado que poderá comprometer a sua estrutura.

Assim, tente armazenar as ferragens pelo menor tempo possível e sempre deixe-as abrigadas contra a chuva e umidade. Contudo, se os pontos de ferrugem forem apenas superficiais, as ferragens ainda poderão ser usadas, já que não haverá um comprometimento da resistência.

Na dúvida, a melhor dica é conversar com o profissional responsável.

Como você viu, são muitos os tipos de ferragens usados nas construções. Entender suas especificações, indicações e usos é de extrema importância, já que esses itens entram na parte estrutural da obra e contribuem diretamente para a segurança e durabilidade do imóvel construído.

Agora que você já leu sobre os principais tipos de ferragens, ficou mais fácil fazer a escolha certa para a sua obra?

Aproveite e compartilhe essas dicas com seus amigos nas redes sociais e cadastre seu e-mail para receber nossa newsletter e ficar por dentro das novidades do blog!

Contrate um ninja