O jardim vertical é uma das tendências de decoração que vem ganhando espaço em muitos ambientes. E esse crescimento não ocorre por acaso: esse tipo de jardim proporciona diversas vantagens para o dia a dia!

Indicado para locais com pouco espaço horizontal, é uma ótima alternativa para quem deseja ter plantas em casa ou criar áreas verdes e naturais de maneira mais criativa. Por isso, muitos utilizam essa técnica para enfeitar varandas, paredes e muros, dando um toque especial ao local. 

A instalação e os cuidados necessários com esse tipo de jardim podem ser um desafio e requerem atenção. Então, seguir alguns passos é essencial para garantir a funcionalidade e beleza do espaço. 

Pensando em te ajudar, neste artigo preparamos um guia de como fazer um jardim vertical e os benefícios que ele pode trazer ao seu lar. Confira a seguir!

Afinal, o que é um jardim vertical? 

O jardim vertical, também conhecido como jardim suspenso, é uma maneira de construir áreas verdes de forma inovadora. Geralmente, as plantas são instaladas em paredes, muros ou qualquer espaço vertical, como o próprio nome anuncia. 

Essa técnica possibilita a integração da natureza em projetos arquitetônicos e urbanistas. A prática proporciona uma decoração bonita e super agradável e vem se popularizando cada vez mais em residências, comércios e até em espaços públicos. 

Além disso, ele ajuda a otimizar o espaço disponível na sua casa ou apartamento. Então, se você ama vegetação, sonha em ter diversos vasos de plantas no seu lar, mas não possui um local propício para isso, o jardim vertical é uma das melhores opções! 

Existem diferentes formas para se fazer um jardim vertical: plantas e flores distribuídas em vasos, painéis verdes, plantas trepadeiras, entre outras. O importante é entender como e onde aplicá-las, quais são seus cuidados e quais as plantas corretas para o estilo.

É possível ver um escritório com uma parede onde há dois jardins verticais instalados.
Jardins verticais prezam pela praticidade e pela funcionalidade, podendo ser instalados em qualquer lugar. (Foto: Reprodução/Pinterest/Wilma)

Benefícios de ter um jardim vertical

Além da melhoria estética que jardins verticais podem trazer aos ambientes, eles também oferecem muitos outros benefícios. 

Selecionamos alguns deles para você entender quais serão seus ganhos caso opte por essa nova tendência. Acompanhe:

Melhora a qualidade do ar

Não é segredo para ninguém que as plantas tornam o ar do ambiente mais limpo e fresco devido às suas características, né? Como elas realizam fotossíntese, favorecem a qualidade do ar respirado por quem passa pelo local do jardim.

A melhora da qualidade do ar também ajuda a evitar ambientes secos, prejudiciais à saúde respiratória. Isso ocorre porque as plantas devolvem parte da água que recebem das regas ou da chuva.

Proporciona conforto térmico

Você sabia que a construção de um jardim vertical pode amenizar as altas temperaturas do verão brasileiro e também isolar o ambiente durante o inverno? Isso porque a camada de plantas consegue bloquear a troca de calor que há entre as áreas.

Essa vantagem entrega resultados em dobro. Com a temperatura mais amena, é possível diminuir o uso do ar-condicionado e dos ventiladores, reduzindo os custos com a energia elétrica.

Ajuda no isolamento acústico

Vegetações absorvem parte das ondas sonoras e isolam uma boa quantidade de ruídos. Por isso, os jardins verticais possuem a capacidade de bloquear certas frequências, diminuindo a poluição sonora do local. 

É importante destacar que o jardim vertical não é específico para essa tarefa. Ele ajuda, mas não entrega os mesmos efeitos de paredes próprias para isolamento acústico, tá bom?

Promove sustentabilidade 

Você já deve ter percebido que os jardins verticais são ótimas opções de decoração sustentável, certo? Ao instalá-los em ambientes externos, como em centros urbanos, é possível aumentar a biodiversidade, atraindo pássaros e insetos para o local

Um jardim vertical com diversos tipos de plantas, separados por nichos.
Traga um pouquinho da natureza para dentro da sua casa.

Passo a passo para fazer um jardim vertical 

Agora que você já conhece todos os benefícios, quer saber como fazer um jardim vertical na sua casa? A seguir, listamos os primeiros passos, os materiais básicos necessários, quais as plantas são as mais indicadas e os principais cuidados: 

1. Escolha bem o espaço

Escolher o espaço para seu jardim vertical é o primeiro passo e um dos mais importantes. Como algumas instalações são fixas, decidir onde montá-lo vai evitar retrabalhos e realocações.

Também é importante se atentar para a quantidade de luz solar que o local recebe durante o dia. Algumas plantas se adaptam melhor na sombra ou meia sombra, enquanto outras preferem a claridade direta.

Analise também se o lugar recebe muito vento. Isso pode dificultar o crescimento saudável das plantas ou a fixação de vasos, por exemplo. 

2. Decida qual é a melhor estrutura para o jardim vertical

Existem diversos tipos de estruturas para a instalação de um jardim vertical. Elas podem ser construídas em painéis decorativos, quadros de decoração, calhas de PVC ou em pallets de madeira.

Outro ponto para se atentar é a proteção da parede onde o jardim vertical será instalado. O ideal é investir em estruturas de apoio ou espaçadores, para evitar o contato direto dos vasos com a parede. Para evitar danos  causados pela água, é interessante utilizar uma placa impermeável.

Pensando em te ajudar na hora da escolha, vamos mostrar separamos os tipos mais comuns de estrutura para você montar seu jardim vertical: 

Jardim vertical em vasos 

Utilize uma estrutura feita de grade ou pallets para prender cada vaso. Não há uma regra para escolher a distância entre eles, então pode deixar sua criatividade fluir, viu? 

Para não errar na hora de comprar os vasos, considere as dimensões do espaço para calcular os diâmetros e formatos. Além disso, eles devem ser impermeáveis, para não vazar água no momento da rega

Caso o jardim seja instalado no interior da casa, adicione pratos próprios para plantas em cada vaso.

Duas pessoas colocando plantas em um jardim vertical padronizado.
O jardim vertical em vasos exige uma estrutura menos elaborada que os demais.

Jardim vertical natural hidropônico 

Neste formato, os investimentos com estrutura são um pouco maiores, mas também se tornam mais práticos a longo prazo. A estrutura precisa ser adaptada para a parede verde que será criada, sendo necessária a instalação de uma manta hidropônica. É preciso pensar na irrigação, na drenagem e na fertilização das plantas.

Nesse caso, o ambiente precisa receber bastante luz solar e possuir um ponto de água próximo à estrutura. O ideal é chamar especialistas no serviço para não haver erros de vazamento ou dores de cabeça futuras.

Jardim vertical natural hidropônico instalado na área externa de uma residência.
A manta hidropônica conta com um design biofílico exclusivo para cada projeto. (Foto: Reprodução/Pinterest/Muda Vertical)

Jardim vertical arquitetônico 

Apesar de todos os tipos de jardins verticais embelezarem os ambientes, o arquitetônico é o que mais “brinca” com a estrutura de instalação. Para criar uma estética bem sofisticada, os painéis de madeira retos ou com formas geométricas são escolhidos para emoldurar os vasos. 

Além disso, são fáceis de cuidar e de instalar. Unindo beleza e praticidade, o jardim vertical arquitetônico é o preferido de muita gente. 

Um jardim vertical embutido em uma parede de uma sala de jantar. As paredes da sala são brancas e a mesa é de madeira, com três vasos de plantas em cima.
A escolha da estrutura é fundamental para definir as próximas etapas da instalação. (Foto: Reprodução/Pinterest/GrowUp Greenwalls)

3. Selecione as plantas para o jardim vertical

As espécies mais populares para esta forma de cultivo, normalmente, são as mais perenes. Ou seja, as que mantêm suas folhas e flores durante todo o ano, independentemente da estação. 

Se o ambiente recebe luz natural na maior parte do dia, as plantas para jardim vertical que mais se adaptam são:

  • Barba de serpente;
  • Flor-de-coral;
  • Flor canhota;
  • Hera inglesa;
  • Brilhantina;
  • Orquídeas;
  • Lambari roxo;
  • Liríope.

Ambientes com meia sombra, ou seja, que recebem um pouco de luz solar e um pouco de sombra ao longo do dia, podem abrigar:

  • Antúrio;
  • Asplênio;
  • Babosa de pau;
  • Columéia peixinho;
  • Chifre de veado;
  • Dedo de moça;
  • Dinheiro em penca;
  • Flor-de-maio.

Já ambientes internos, com pouca luz natural direta, são mais adequados para suculentas e musgos.

Canteiro de flores cheio de antúrios na cor vermelha.
Por ser uma planta de fácil adaptação, tanto em ambientes internos quanto externos, o antúrio é uma ótima opção para jardins verticais. (Foto: Reprodução/Pinterest/Guía de Jardinería)

4. Faça a instalação

Com o local de instalação escolhido, a estrutura definida e as plantas selecionadas, é hora de colocar a mão na massa!

Primeiramente, verifique o estado da parede escolhida para receber o jardim. Em alguns casos, pode ser necessário fazer uma manutenção, que envolve desde uma nova pintura até um reforço estrutural.

Em seguida, instale os espaçadores ou estruturas de apoio e a placa impermeável. Todo esse conjunto será responsável por proteger a parede contra a ação da água e do atrito, então é importante prestar bastante atenção nesse ponto, combinado?

Após isso, a parede estará pronta para receber a estrutura que vai sustentar o jardim vertical. Instale-a e distribua os vasos com as plantas.

Para que todo esse serviço seja feito da melhor forma possível, é recomendada a contratação de profissionais que vão te auxiliar com todas essas estruturações. Na Loja das Palmeiras, você encontra os melhores produtos para deixar seu jardim maravilhoso!

Várias palmeiras plantadas ao lado do muro de uma casa com ampla área externa.
Para resultados de primeira, procure profissionais qualificados, como os da Loja das Palmeiras. (Foto: Reprodução/Loja das Palmeiras)

Você também pode instalar um sistema de irrigação automática, mas isso exigiria a consulta de um especialista. Isso porque a instalação de todo o sistema, composto por bomba, controle da irrigação, calha, etc., precisa ser feita cuidadosamente.

Jardim vertical sendo construído em uma estrutura formada por armações de ferro.
Armações de ferro podem ser usadas na estrutura do jardim vertical. (Foto: Reprodução/Pinterest/Marcelle Cleber Rangel)

5. Cuide diariamente

Quando for comprar suas plantas, lembre-se sempre de perguntar ao florista ou ao vendedor responsável quais são os cuidados específicos para cada uma delas

Descubra a frequência e a quantidade de rega, pois algumas espécies necessitam de mais água que outras. Também fique atento quanto à manutenção do adubo para mantê-las sempre verdes e abundantes em seu jardim vertical. 

Mantenha os vasos limpos, a estrutura reforçada e sempre retire possíveis ervas daninhas. Elas acabam absorvendo nutrientes essenciais para o crescimento da planta em si e vão atrapalhar o desenvolvimento do seu jardim.

Agora que você já sabe como fazer um jardim vertical, que tal comprar os materiais necessários? Acesse o Toca Obra e veja tudo o que você precisa para fazer seu jardim!

Contrate um ninja